NEON.png

A NEON ART CONSERVATION nasceu em 2018 da vontade de cinco conservadoras-restauradoras desenvolverem a sua atividade na salvaguarda da arte moderna e contemporânea. Pretende colmatar a falta de soluções no mercado no âmbito da conservação de materiais menos convencionais, como plásticos, borrachas e fotografia, entre outros, mas também oferece soluções para suportes mais tradicionais como a pintura e o papel. Associada ao Departamento de Conservação e Restauro da Universidade NOVA de Lisboa, a NEON aposta na investigação científica e no conhecimento dos materiais como base para a realização de trabalhos pautados pela exigência e rigor, respondendo aos desafios lançados pelo património do século XX e XXI. A NEON tem como missão a preservação do património cultural através da prestação de serviços de excelência e do desenvolvimento de soluções inovadoras. Pretende ainda contribuir para o conhecimento material, técnico e artístico da arte moderna e contemporânea, valorizando a profissão do conservador-restaurador.

 

 
 
 

 

Sócias fundadoras

élia Roldão

Conservadora-restauradora de fotografia, é licenciada em Conservação e Restauro pelo Instituto Politécnico de Tomar (2000), e tem uma Pós-graduação em Química Aplicada ao Património Cultural na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (2007). Iniciou a sua especialização em fotografia em 2000, quando começou a trabalhar na empresa Luís Pavão Lda (LUPA). Entre 2000 e 2010 participou em vários projetos na LUPA, tendo realizado inventário de coleções, conservação ativa, preservação, restauro, catalogação, descrição, digitalização, gestão de projetos e de equipas. Em 2010, participou num projecto de investigação financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, sobre o acervo fotográfico realizado por Gago Coutinho durante uma expedição em África, realizado no Arquivo Histórico Ultramarino. De momento, encontra-se a terminar o doutoramento em Ciências da Conservação na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade NOVA de Lisboa. O seu trabalho foca-se no estudo de coleções de negativos preto e branco com suportes em nitrato e acetato de celulose, tendo estudado coleções de negativos provenientes de diferentes arquivos nacionais.

 

joana Silva

Conservadora-restauradora de fotografia, é mestre em Conservação e Restauro pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade NOVA de Lisboa (2009). Trabalhou na empresa Luís Pavão Lda. (LUPA) entre 2009 e 2013, tendo feito parte da equipa de conservação da Biblioteca de Arte da Fundação Calouste Gulbenkian. A sua experiência na LUPA possibilitou-lhe trabalhar em inventário das coleções, descrição de imagens, seleção para digitalização, higienização, tratamentos de conservação e restauro (estabilização química e física), gestão dos espaços de depósito, etc., organização e montagem de exposições, desenvolvimento de ações de formação, investigação sobre processos fotográficos antigos (colódio húmido, reforço de negativos, etc.), entre outros. Encontra-se a terminar o doutoramento em Ciências da Conservação pela mesma Universidade, estudando o espólio fotográfico e fílmico do artista Ângelo de Sousa. Este contacto alargado com a investigação permitiu reforçar a sua formação científica e consolidar um conhecimento aprofundado sobre os materiais fotográficos.

 

sara babo

Conservadora-restauradora de pintura e arte contemporânea, é mestre em Conservação e Restauro (2009) pela Universidade NOVA de Lisboa (FCT NOVA), tendo consolidado um percurso profissional na prática da conservação e restauro e na investigação. Entre 2006 e 2008 trabalhou na empresa Argo – Conservação e Restauro. Em 2008 foi bolseira de investigação no DCR (FCT NOVA), tendo participado na produção do catálogo raisonné de Amadeo de Souza-Cardoso, contribuindo para o estudo dos materiais e técnicas do artista. Em 2010 foi bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação Luso-Americana, tendo realizado um projecto de investigação sobre métodos de limpeza para tintas acrílicas e plásticos no Museum Conservation Institute da Smithsonian Institution. Entre 2010 e 2014, foi assistente na docência de Conservação e Restauro de Pintura no DCR (FCT NOVA), prestando também serviços para instituições como a Casa das Histórias Paula Rego, a Caixa Geral de Depósitos, Millennium-BCP, Centro de Arte Moderna da FCG, entre outros. Atualmente, está a terminar o Doutoramento em Ciências da Conservação na FCT NOVA, investigando esculturas em chapa acrílica.

 

sílvia sequeira

Conservadora-restauradora de documentos gráficos, é doutorada em Conservação e Restauro do Património - Especialidade em Ciências da Conservação, pela Universidade NOVA de Lisboa. A sua carreira de investigação tem sido pautada pela procura de soluções inovadoras para resolução de problemas de conservação do nosso património. Adquiriu uma vasta experiência em conservação e restauro de documentos gráficos e em conservação preventiva de diversos tipos de coleções no Instituto de Investigação Científica Tropical (2005-2011). Desde 2005 tem exercido funções de docência e orientação de teses de mestrado, na Universidade Nova de Lisboa, nas áreas de conservação preventiva, conservação de documentos gráficos e biodeterioração de papel. Em 2011-2012 foi também docente na licenciatura na Escola Superior de Artes Decorativas – Fundação Ricardo Espirito Santo. Ao longo da sua carreira tem participado em diversos projectos de conservação e restauro de documentos e obras de arte contemporânea. Actualmente é investigadora pós-doc num projecto CleanART, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, onde se encontra a desenvolver um método inovador para limpeza de manchas de fungos em documentos e obras de arte sobre papel. 

 

susana frança de sá

Conservadora-restauradora de arte contemporânea, é doutorada em Ciências da Conservação pela Universidade NOVA de Lisboa (2017), tendo-se especializado na preservação de materiais poliméricos sintéticos (nomeadamente plásticos, borrachas, espumas, filmes e fibras). Apresenta uma larga experiência profissional e de investigação que lhe permitiu adquirir um conhecimento alargado sobre o comportamento destes materiais “não convencionais”, amplamente usados por artistas e designers a partir do séc. XX. Na sua experiência profissional conta com trabalhos realizados para a Coleção da Caixa Geral de Depósitos, MUDE – Museu do Design e da Moda, Coleção Francisco Capelo, Museu Coleção Berardo e Museu Benfica – Cosme Damião, contemplando a produção de documentação para grandes instalações de arte contemporânea, o desenvolvimento e implementação de estratégias de acondicionamento em reserva para plásticos e o estudo de tratamentos de estabilização e consolidação para espumas e borrachas. Desde Fevereiro (2018), é Professora Auxiliar Convidada no DCR (FCT NOVA).